Como os tontons-maCUTs defendem a “liberdade de expressão”


O vídeo acima ilustra a seguinte matéria, publicada no Estadão, com o título “PT tenta barrar panfletos encomendados por bispo”:

O Partido dos Trabalhadores (PT) está tentando impedir agora à tarde que cerca de um milhão de panfletos encomendados pelo bispo da Diocese de Guarulhos (SP), Dom Luiz Gonzaga Bergonzini, seja distribuído à população. O panfletos recomendam aos brasileiros e brasileiras que deem seu voto ‘a candidato ou candidata e partidos contrários à descriminalização do aborto’

O material, segundo a advogada Ana Fernanda Ayres, do escritório Bottini Tamasauskas Advogados, que assessora o PT, seria ilegal, uma vez que não apresenta o CNPJ do autor. ‘Queremos assegurar que não houve qualquer tipo de crime (em relação ao material)’, afirmou.

A Editora e Gráfica Pana, responsável pela impressão do material, mostrou documentos que comprovam o pedido feito por Dom Luiz Gonzaga. Os proprietários alegam que, da parte deles, apenas cumpriram encomenda legal feita por um cliente.

Um primeiro lote de um milhão de panfletos já havia sido distribuído antes do primeiro turno das eleições, segundo Paulo Ogawa, pai de Alexandre Takeshi Ogawa, proprietário da gráfica.

De acordo com Paulo Ogawa, pai de Alexandre Takeshi Ogawa ainda há cerca de 1 milhão de unidades do panfleto na gráfica, que fica no bairro do Cambuci, em São Paulo. O caso está sendo registrado neste momento no 5o. Distrito Policial.

Aliás, só para deixar claro, logo depois desta notícia a Polícia Federal realizou a apreensão dos panfletos.

Tudo, claro, amparado por muito chilique e histeria do PT.

Então, antes de tudo, vamos então aos tais panfletos “difamatórios’?

Veja a imagem a seguir:

Esta também:

Agora, qual é a difamação contida ali?

O documento cita algumas informações, como pode ser visto na primeira imagem:

Em abril de 2005, no IIº Relatório do Brasil sobre o Tratado de Direitos Civis e Políticos, apresentado ao Comitê de Direitos Humanos da ONU (nr. 45), o atual governo compremeteu-se a legalizar o aborto;
Em agosto de 2005, o atual governo entregou ao Comitê da ONU para a Eliminação de Todas as formas de Discriminação contra a Mulher (CEDAW), documento no qual reconhece o aborto como Direito Humano da Mulher;
Em setembro de 2005, através da Secretaria Especial de Política das Mulheres, o atual governo apresentou ao Congresso um substitutivo da PL 1135/91.
Será que os petralhas que reclamaram de propaganda política vão negar qualquer um desses eventos?

Quer dizer que agora eles estão com vergonha de suas ações no governo?

Em nenhuma dessas citações, sequer há menção ao nome da Dilma Rousseff. Mesmo assim, chamam de propaganda política?

Quer dizer que com a aproximação das eleições, nenhum panfleto que relembre as posições tomadas pelo governo pode ser publicado? (Talvez eles deixem se o panfleto for “a favor” do governo)

Nem Hugo Chávez faria melhor…

A coisa fica mais macabra ainda quando observamos outra parte do panfleto, quando é recomendado que nas eleições os eleitores deveriam dar seu voto somente a candidatos ou candidatas e partidos contrários à descriminalização do aborto. (veja a segunda imagem)

Isso é plenamente normal, pois se os católicos são contra o aborto, é natural sugerir que os eleitores não votem em políticos a favor do aborto.

É aí que vem a grande contradição dos lullistas.

Eles chamam de difamação o ato de divulgarmos o vídeo abaixo em que Dilma alega que é favor da descriminalização do aborto:

Alegam eles que a Dilma NÃO É a favor da descriminalização do aborto.

Então, por que ficam enfezadinhos com um panfleto que diz para os eleitores só não votarem em quem é a favor da descriminalização do aborto?

Sem querer, eles assumiram sua culpa. (Pois, se a Dilma realmente fosse contra a descriminalização do aborto, ela não estaria afetada pelo panfleto)

E o cenário fica ainda mais repugnante pela forma como os petralhas foram na gráfica.

Agora, neste país, as pessoas perdem o direito de expressão. Se o folheto é “campanha política”, isso deveria ser decidido pela justiça, e não por uma patrulha ideológica que arma campana em frente à uma gráfica.

A falta de senso de decência dessa cambada é tamanha que um sujeito chega até a constranger o pai do dono gráfica, dizendo que ele pode “ir preso”.

Preso por que? Só por que ele aceitou um pedido para impressão de panfletos em que um bispo critica a postura do governo?

Mais um detalhe: que “sistema de informação” esses militantes possuem, não?

Lembram muito bem a patrulha de Papa Doc no Haiti.

Agora será que vão começar a patrulhar o uso de computadores para evitar que mandemos o conteúdo desses panfletos para a nossa rede de contatos?

Nesse final de semana, a postura dos militantes do PT na frente da Gráfica lembrou os piores momentos das ditaduras de alguns países africanos, assim como de Venezuela e Cuba.

O fato é que os panfletos não dizem mentira alguma e não há qualquer tipo de difamação.

As matérias ali estão embasadas no 3º e 4º Congressos do PT, nos quais foram fechadas a questão da descriminalização do aborto.

É simplesmente absurdo, intolerável e inaceitável que aceitemos a coação dessa corja do PT, militantes que patrulham cidadãos de bem, somente para manter esse sistema corrupto que estabeleceu o mensalão.

Aquele cidadão que logo aos 5 minutos de vídeo ameaça o senhor (quem nem era o dono da Gráfica, pois esta pertencia ao seu filho) é simplesmente uma aberração para a nossa sociedade.

Esse tipo de gente tem que ser tratada com desconfiança e rejeição social, pois se acham até no direito de fazer coação em prol do PT.

Mesmo que até a publicação dos panfletos seja considerada ilegal, nada justifica esse tipo de coação em um país democrático.

Por isso, deixo aqui a minha dica: se algum de vocês, leitores, tiver algum familiar que apóia o PT, NÃO CONFIE nele. Eles podem chegar e lhe entregar.

Querem um exemplo?

Vários de nós enviamos emails em correntes (e os petistas também fazem isso), com mensagens apoiando ou criticando algum candidato.

Se algum familiar seu for petralha, ele poderá usar isso contra você, pois para ele o que importa é o “partidão” do José Dirceu.

Por isso, a partir de agora, temos que dividir o país em dois grupos. Os que estão a favor do PT e os que estão contra.

Nós, que somos contra o PT, não temos que confiar de forma alguma naqueles que são a favor.

Os que são a favor são parte da indústria de informação do PT, e não titubearão em te entregar à turminha dele se você enviar um email criticando o PNDH-3, por exemplo.

E, sem contar para essa turminha (mesmo que sejam familiares), peço que enviem essa mensagem aos seus VERDADEIROS amigos.

Obs.: Os Tonton Macoute eram os voluntários da Segurança Nacional, que obedeciam cegamente às ordens do ditador François Papa Doc Duvalier, no Haiti. Calcula-se que eles fizeram desaparecer mais de 150 mil pessoas entre 1959 e 1986. Os tontons-maCUTs são um termo criado por Reinaldo Azevedo para definir petralhas que servem para coagir e atacar opositores ao governo petista. A tendência é que as ações se tornem violentas quando a ditadura petista formal estiver estabelecida.

http://lucianoayan.wordpress.com/2010/10/18/como-os-tontons-macuts-defendem-a-liberdade-de-expressao/

Anúncios

Publicado em 18 de outubro de 2010, em Comunicados aos Cristãos, Governo PT. Adicione o link aos favoritos. Deixe um comentário.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: