Ludibriando os católicos

Ludibriando os católicos

Olavo de Carvalho
Diário do Comércio, 18 de outubro de 2010

Ao ver que ia perdendo o apoio da Igreja à sua protegida Dilma Roussef, cujo abortismo radical e persistente nem os desmentidos de última hora, nem as abjetas e blasfematórias encenações de fé católica da candidata puderam camuflar, o sr. Presidente da República, em desespero, decidiu recorrer ao crime eleitoral explícito: usando o Estado como instrumento de chantagem, ameaçou romper a concordata do governo brasileiro com o Vaticano caso o eleitorado católico se recuse a continuar sendo otário do PT, como o foi servilmente durante tantas décadas por obra e graça de comunistas vestidos de bispos.

O próprio Lula, algum tempo atrás, reconheceu que devia sua carreira política ao eleitorado católico, que aqueles bispos e a mídia cúmplice haviam logrado enganar cinicamente, encobrindo o programa comunista e abortista do PT com a imagem beatificada e perfumada de “Lulinha Paz e Amor”.

O fim da farsa, embora tardio e parcial, não só privou Dilma Roussef da anunciada vitória no primeiro turno, mas serviu para desmascarar a autoridade religiosa postiça de tantos sacerdotes e prelados que só entraram na carreira eclesiástica para aí realizar o programa estratégico de Antonio Gramsci: esvaziar a Igreja de todo o seu conteúdo espiritual e usá-la como dócil instrumento da política comunista. A Teologia da Libertação é o braço mais ativo desse programa e, como ninguém ignora, o catolicismo de Lula – e do PT em geral – é o da Teologia da Libertação. Não o de Nosso Senhor Jesus Cristo.

Não deixa de ser útil lembrar que a Igreja, desde sua fundação, teve de lutar menos contra os seus inimigos ostensivos do que contra os seus falsificadores. Tal é, aliás, a definição de “heresia”, palavra que hoje tantos usam sem conhecer-lhe o significado: não qualquer doutrina anticatólica, ou não católica, e sim a falsa doutrina católica oferecida indevidamente em nome da Igreja. Lembrem-se disso quando algum professorzinho aparecer alardeando que a Igreja “perseguia doutrinas adversas”. Heresia não é divergência de idéias, é crime de fraude. Da Antigüidade até hoje, gnósticos, arianistas e tutti quanti jamais hesitaram em fingir-se de católicos para vender, sob roupagem inocente, as idéias mais opostas e hostis aos ensinamentos de Cristo. Com freqüência, obtiveram nesse empreendimento sucessos espetaculares, embora passageiros. Ainda no século XIX praticamente todos os seminários da França e da Alemanha ensinavam, com o nome de teologia católica, uma pasta confusa de idéias cartesianas, iluministas e românticas, na qual os jovens aprendizes, iludidos pelos prestígios intelectuais do dia, não enxergavam nada de maligno. Foi só a decisiva intervenção do Papa Leão XIII que acabou com a palhaçada, mediante a bula “Aeterni Patris” (1879), que restaurou o ensino da teologia católica tradicional. Se quiserem uma boa resenha desses fatos, leiam a obra em quatro volumes de Etienne Couvert, “De la Gnose à l’Ecumenisme” (Éditions de Chiré, 1989).

No século XX, à medida que o movimento neotomista inaugurado por Leão XIII reconquistava o prestígio intelectual da Igreja, os eternos falsários abdicaram temporariamente da propaganda aberta e voltaram-se, em massa, para a estratégia da infiltração discreta, praticada em escala industrial a partir da década de 30 graças à iniciativa da KGB (leiam o depoimento de Bella Dodd em “School of Darkness”: há cópias circulando pela internet). Foi só em 1963, no Concílio Vaticano II, que, sentindo-se protegidos pela atmosfera de mudança, voltaram a vender impunemente, ao público geral, seus simulacros de cristianismo.

A fundação do PT e toda a sua carreira de crimes inigualáveis não foram senão a extensão remota desses fatos a um país periférico. O PT sempre foi a encarnação viva de um catolicismo de fancaria, concebido para ludibriar os fiéis e induzi-los a trabalhar pelo avanço do comunismo.

Não espanta que a própria entidade que personifica esse catolicismo ante o público seja, ela própria, uma fraude publicitária: a CNBB fala em nome da Igreja e posa, ante os fiéis, como expressão suma da autoridade eclesiástica, mas não é sequer uma entidade da Igreja, é uma simples sociedade civil sem lugar nem função na hierarquia católica. Os bispos, individualmente, têm autoridade para falar em nome da Igreja. A CNBB, não. Quando a CNBB repreende um bispo, ela falsifica e inverte a hierarquia. Está na hora de os fiéis, em massa, tomarem consciência disso.

***

Link original para o artigo: http://www.olavodecarvalho.org/semana/101018dc.html

Visite também a comunidade de Olavo de Carvalho no orkut e veja seus comentários em vídeo no Youtube.

Anúncios

Publicado em 19 de outubro de 2010, em Catolicismo, Comunicados aos Cristãos, Comunismo, Governo PT, Teologia da Libertação e marcado como , , . Adicione o link aos favoritos. 2 Comentários.

  1. VOTAR EM RUSSOMANNO DO PRB DO SECTÁRIO-ABORTISTA EDIR MACEDO OU COMUNISTA-PT-HADDAD, É O ” CATÓLICO IR AO CARTÓRIO E PASSAR PROCURAÇÃO PARA SATANÁS AGIR EM SEU NOME”.
    Isso mesmo; será demonstração explícita de descompromisso com Jesus e sua Igreja Católica, grave pecado, votar em partidos do naipe dos aliados no governo PRB/comunista PT, aquele de propriedade do sectario-abortista Edir Macedo da Igreja Universal e esse do Lula, católico(?), “defensor dos pobres e do ” IGUALITARISMO”: + de U$ 2,000,000,000 de fortuna! Aliás, ambos bem conhecidos por suas farsas como o Edir Macedo que disse a 6 000 adeptos no templo, sem citar o nome, que não conhece Russomannno e ele referindo-se ao Edir Macedo, também; porém, estão em algumas fotos de mãos dadas…
    O voto favorecerá o comunista PT-Teologia da Libertação-Marxismo Cultural, ferozes adversários de Jesus e sua Igreja e de toda ética-moral cristã; até cristãos paralelos deveriam considerar em não votar no PRB e PT etc., pois são ideologias contrárias aos mínimos princípios cristãos.
    Veja bem: o PT implantando nas escolas infantis a “IDEOLOGIA DO GÊNERO”, instigando as crianças desde tenra idade a se aliarem a gays e lésbicas e breve, quem sabe, transformariam uma residência familiar em bordel. A tática do Edir e do PT é de insurgir os católicos mal informados ou deformados contra a Igreja tradicional caluniando-a, pois o mentir entre eles é oficial e, ao discursarem, precisamos avaliar:

    1º A quantidade e dimensão das farsas e mentiras e seus contornos

    2º As armadilhas embutidas do discurso sempre atraente e cativante, em aparente defesa dos mais necessitados, utizando a “NOVILINGUA DO PT” – confira-a na net – falam uma mas significa outra contrária, uma farsa bem montada de laboratorios de engenharia social a serviço do PT-comunismo internacional, experts em domesticar as mentes com o Marxismo Cultural.

    3º Os danos que causarão a si e à sociedade

    O PT inspira-se no satanista Marx: “nada há de absoluto, definitivo e sagrado” e sob os “dez mandamentos de Lênin”, veja-os na net. São ardilosos entre si, comportam-se como cães ferozes que se abocanham nos “expurgos internos”.
    A questão dos kits gays, aprovação e distribuição são do diabólico-comunista PT-Haddad, porém o atribuiram à Igreja! Dividir para apresar, ou seja, para vencer seus adversário joga uns contra os outros, velha e manjada tática comunista de dominar.
    Edir Macedo é um ateu enrolado nas capas da bíblia, acusado por colegas pastores de ser maçon. Confira o triângulo nos frontispícios de seus templos e lojas maçônicas. Confira na net os antigos vídeos em que ensinava de como “arrecadar” dinheiro. É o estilo do farisaico Lula: não sabia de nada, não viu nada e ainda assinou os documentos sem os ler…

    Os católicos que os elegerem ou alienaram-se à fé, ou aderidos à esquerdista Teologia da Libertação-Marxismo Cultural-PT; há grupos carismáticos “auês” dissensos às normas da Igreja que são protestantes pentecostais e apoiadores do Russomanno.

    Esses conspurcaram o batismo, preferindo servir os interesses pessoais ou grupais ao Reino de Deus e incluindo-se no título acima, “aqueles que dão voto de confiança ao diabo e esperam dele suas bênçãos…

    NB: O comunismo-Teologia da Libertação-Marxismo Cultural-PT no Brasil grassaram por obra e (des)graça de muitos membros dissensos da Igreja desde a ditadura, ou por comunistas travestidos de sacerdotes infiltrados, subvertidos ou aderidos à ideologia marxista e eleitores comparsas.

  1. Pingback: “Ser comunista é motivo para excomunhão?” « Ichthys

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: