DILMA x DILMA — Qual delas prevalecerá?

É público e notório o quanto Dilma Rousseff já se manifestou a favor da legalização do aborto. Entretanto, nestes últimos dias a candidata do PT procurou ocultar sua posição abortista.

— Por que?
— Claro, devido à enorme reação anti-aborto por parte da opinião pública brasileira, Dona Dilma quer conquistar votos até mesmo daqueles que são contrários ao aborto. Pelo menos, conquistar os votos dos incautos anti-abortistas, que, ingenuamente, poderiam acreditar em sua “conversão” — sem antes ter ela passado pelo “Caminho de Damasco”… (a respeito, vide post mais abaixo).

Sobre esta “mudança”, o jornal “O Estado de São Paulo” de anteontem (30-9-10) publicou uma interessante análise, assinada pela jornalista Vera Rosa. Seguem alguns trechos:

Polêmica do aborto leva Dilma a igrejas
  • Vera Rosa

BRASÍLIA — Preocupada com a perda de votos entre cristãos, atribuída por sua campanha à polêmica sobre o aborto, Dilma Rousseff reuniu ontem padres e pastores, em Brasília, para negar já ter defendido a interrupção da gravidez.

A polêmica é alimentada por declarações dadas por Dilma em outras ocasiões, antes da reta final da campanha. Na tarde de ontem, porém, a petista disse que é contrária até mesmo a um plebiscito sobre o tema, como prega Marina Silva. “Plebiscito divide o País e vai todo mundo perder, seja qual for o resultado”, insistiu a candidata.

Diante de 27 líderes de denominações cristãs — católicas e evangélicas —, Dilma desmentiu categoricamente que algum dia tenha afirmado que “nem Jesus Cristo” tiraria a vitória dela no primeiro turno, marcado para domingo.

Há um mês, a candidata divulgou manifesto batizado de Carta ao Povo de Deus, no qual pedia “oração” e “voto”. O documento dizia que cabe ao Congresso Nacional a função básica de encontrar o “ponto de equilíbrio” nas posições que envolvem valores éticos, como aborto e uniões entre pessoas do mesmo sexo.

No encontro de ontem, Dilma foi além: garantiu que, se for eleita presidente, não enviará ao Congresso qualquer projeto de lei com o objetivo de ampliar a cobertura do Estado para casos de aborto. “Do jeito que está, está pacificado”, comentou. “Eu, pessoalmente, sou contra o aborto e considero a questão como de saúde pública.”

Em discurso sob medida para agradar aos cristãos, Dilma afirmou que é “a favor da vida” e pregou a liberdade de credo. Disse, ainda, que é católica. Em 2007, durante sabatina do jornal Folha de S. Paulo, ela disse ter ficado muito tempo “meio descrente”.

O que Dilma já disse

  • “Duvido que alguém se sinta confortável em fazer um aborto. Agora, isso não pode ser justificativa para que não haja a legalização. O aborto é uma questão de saúde pública. Há uma quantidade enorme de mulheres brasileiras que morre porque tenta abortar em condições precárias. Se a gente tratar o assunto de forma séria e respeitosa, evitará toda sorte de preconceitos. Essa é uma questão grave que causa muitos mal-entendidos.” (À revista Marie Claire, edição 217, abril de 2009)
  • “O que nós defendemos é o cumprimento estrito da lei, que prevê casos em que o aborto deve ser feito e provido pelo Estado.” (Em 22 de junho de 2010, em entrevista reproduzida pela Agência Estado) 
  • “Não se deve tratar a questão como religiosa, mas de saúde pública.” (idem)
  • “Se houver conflito entre as legislações quem tem de fazer essa solução é a Justiça. A lei é clara e tem de ser cumprida.” (No debate Folha/UOL, em 18 de agosto de 2010)
_________________

Como perguntar não ofende, encerro este post com algumas perguntas que não querem calar: Se a candidata petista for eleita, qual das duas Dilmas governará? Aquela anterior às disputas eleitorais, ou aquela que emergiu só recentemente?

— Como acreditar em alguém que diz uma coisa (ser favorável à legalização do aborto — como declarou à revista Marie Claire, em abril/2009), e depois outra (“sou a favor da vida” — como declarou anteontem).

— Como acreditar em alguém que disse “Acho que não é cabível vestir o boné do MST. Governo é governo, movimento é movimento. Não concordo que alguém do governo assuma a bandeira do MST”.

Entretanto esta mesma pessoa está na foto abaixo… usando o boné do MST… Sem comentários…

Dilma Rousseff, com o boné do MST, na convenção estadual do PT-SE em 24-6-10. Tal convenção não divulgaria esta cena (cômica?), mas foi flagrada por uma emissora de TV de Sergipe…

PS: Relembrando: Também Lula quando candidato em 2002, para conquistar votos, prometeu que se fosse eleito presidente não promoveria o aborto e o “casamento” homossexual… Entretanto ele abraçou por inteiro essas duas causas anti-família. Causas, aliás, defendidas fanaticamente pelo Partido dos Trabalhadores. Se alguém duvidar, aconselho assistir o vídeo no post mais abaixo: Sob pretexto de “saúde pública”, pretende-se legalizar crime hediondo: o aborto.

E por falar nesse partido, mais uma recordação: José Dirceu afirmou peremptoriamente que a eleição de Dilma é um projeto do PT… Como sabemos ela tem um outro cabo-eleitoral também “polêmico”: Hugo Chávez. Este afirmou: “Dilma Rousseff é minha candidata”. Também neste caso, se alguém precisar ver para crer, eis um vídeo:

Fonte:http://blogdafamiliacatolica.blogspot.com/2010/10/dilma-x-dilma-qual-delas-prevaecera.html

Anúncios

Publicado em 25 de outubro de 2010, em Comunicados aos Cristãos, Comunismo, Governo PT, Videos. Adicione o link aos favoritos. Deixe um comentário.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: