Arquivo da categoria: Comunismo

Governo do Brasil tenta fechar rede de TV católica em conflito existente por causa do aborto

SÃO PAULO, Brasil, 23 de novembro de 2011 (Notícias Pró-Família) — O governo federal do Brasil, atualmente controlado pelo Partido dos Trabalhadores pró-aborto, está tentando fechar a maior rede de TV católica do Brasil em evidente retaliação por remover apresentadores do PT (http://noticiasprofamilia.blogspot.com/2011/11/rede-de-tv-catolica-remove-apresentador.html) da programação.
TV Canção Nova

De acordo com ativistas pró-vida locais, a decisão de atacar a TV Canção Nova parece ser o episódio mais recente de um conflito em andamento entre o governo e a Igreja Católica do Brasil pelo fato de que a Igreja Católica rejeita as políticas pró-aborto e pró-homossexualismo do Partido dos Trabalhadores.

De acordo com os meios de comunicação locais, o Ministério Público Federal entrou com ação civil para revogar as licenças da TV Canção Nova e também da estação católica conhecida como TV Aparecida, pois sua documentação não seguiu os procedimentos adequados quando suas licenças foram concedidas em 1997 e 2001. O MPF nega que sua decisão tenha a ver com o conteúdo da programação das TVs.
Contudo, o ataque contra as estações ocorreu apenas dois dias depois que a TV Canção Nova anunciou que estaria removendo um proeminente político do Partido dos Trabalhadores de sua programação depois de um protesto por parte de católicos por causa do apoio do PT ao aborto legalizado bem como às uniões civis homossexuais e a leis contra a “homofobia”.
Ativistas pró-vida do Brasil acreditam que a estação foi pressionada a aceitar os líderes do Partido dos Trabalhadores depois das calorosas disputas das eleições presidenciais de 2010. Dilma Rousseff, a candidata do Partido dos Trabalhadores, quase perdeu essas eleições devido às posturas polêmicas do PT, as quais foram publicamente denunciadas por bispos e padres católicos.
Um padre da TV Canção Nova denunciou o Partido dos Trabalhadores durante as eleições como pró-aborto, gayzista e marxista e disse que nunca votaria neles, provocando a fúria do PT.
Durante as eleições o governo confiscou materiais que mostravam para o público o ensino da Igreja Católica sobre o direito à vida, e de acordo com as reportagens ameaçou líderes católicos com o cancelamento do tratado do Brasil com o Vaticano, o qual inclui verbas governamentais para as escolas. O confisco foi mais tarde julgado como ilegal por um tribunal do Brasil, embora as eleições já tivessem passado e Rousseff tivesse sido eleita.
Fonte:

Rede de TV católica remove apresentador de programa gayzista depois de campanha de protestos

 

Matthew Cullinan Hoffman

22 de novembro de 2011 (Notícias Pró-Família) — A maior rede de televisão católica do Brasil decidiu acabar com um novo programa polêmico dirigido por um famoso político socialista e gayzista.
A TV Canção Nova cancelou o programa depois de uma campanha de protesto pela internet realizada por telespectadores indignados, liderada pela conta de Twitter #CançãoNovaSemPT.
O programa “Justiça e Paz”, que era transmitido semanalmente desde 3 de novembro, tinha como destaque Edinho Silva, que se anunciava como “sociólogo”, mas que é também líder do Partido dos Trabalhadores do Estado de São Paulo.
Comentaristas católicos rapidamente apontaram para o fato de que Edinho abertamente promove a agenda política gayzista, e dirige um partido que está buscando legalizar o assassinato de bebês em gestação em todo o Brasil, no nome da “saúde pública”.
O site católico brasileiro “Sentir com a Igreja” postou charge retratando Edinho Silva sendo “defenestrado”.
Durante as eleições nacionais do ano passado, a máquina política do Edinho liderou o ataque contra os bispos católicos que buscaram alertar acerca das políticas pró-aborto do Partido dos Trabalhadores, de acordo com Wagner Moura, um dos maiores blogueiros católicos do Brasil.
“O presidente do Partido dos Trabalhadores do Estado de São Paulo é o mesmo que, em 2010, promoveu diretamente a perseguição do documento da Divisão Sul 1 da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil, o qual pede que os católicos não votem em políticos pró-aborto como a presidenta Dilma Rousseff”, escreve Moura.
“Por meio dos advogados do Partido dos Trabalhadores, o presidente foi até o Tribunal Eleitoral para impedir o prosseguimento da impressão dos documentos”, acrescenta Moura. Depois que o documento foi confiscado pelas autoridades, o ato foi declarado ilegal por um tribunal brasileiro.
A descrição do programa que agora está cancelado, chamado “Justiça e Paz”, pode ainda ser encontrada no site da Canção Nova. O programa era apresentado também pelo bispo esquerdista Demétrio Valentini, e iria “discutir temas sociais a partir da doutrina social da Igreja, contida no Catecismo da Igreja Católica. Entrarão em pauta assuntos como democracia, saúde, educação, greves, sindicatos e liberdade religiosa”.
De acordo com o ativista católico brasileiro Antonio Donato, vários outros políticos foram também removidos da programação da TV Canção Nova, inclusive Gabriel Chalita, Eros Biondini, Paulo Barbosa, Myriam Rios e Lu Alckmin.
O site católico brasileiro “Sentir com a Igreja” respondeu à notícia com uma charge retratando Edinho Silva como “defenestrado” (jogado pela janela) da sede da Canção Nova por Jesus e um bispo católico.
Traduzido por Julio Severo: www.juliosevero.com
Copyright © LifeSiteNews.com. Este texto está sob a licença de Creative Commons Attribution-No Derivatives. Você pode republicar este artigo ou partes dele sem solicitar permissão, contanto que o conteúdo não seja alterado e seja claramente atribuído a “Notícias Pró-Família”. Qualquer site que publique textos completos ou grandes partes de artigos de Notícias Pró-Família ou LifeSiteNews.com em português tem a obrigação adicional de incluir um link ativo para “NoticiasProFamilia.blogspot.com”. O link não é exigido para citações. A republicação de artigos de Notícias Pró-Família ou LifeSiteNews.com que são originários de outras fontes está sujeita às condições dessas fontes.

Charge: Canção Nova dá voz ao Edinho Silva

Os fiéis da Canção Nova, o PT de Edinho Silva e o PMDB de Chalita. Ou: Não se deve usar o Reino de Deus para conquistar poder no reino dos homens. Ou: Rebanho de Deus não é rebanho de partidos

Escrevi ontem um post sobre o programa que o deputado estadual Edinho Silva, presidente do PT de São Paulo, ganhou na TV da Canção Nova. O texto está aqui. No programa de estréia, lá estava o deputado federal Gabriel Chalita (PMDB-SP), pré-candidato à Prefeitura de São Paulo. Luiz Inácio da Silva trabalha para que ele seja vice de Fernando Haddad. Caso isso não aconteça, é certo que estarão juntos num eventual segundo turno se um deles passar para essa etapa. Assim, a TV Canção Nova leva ao ar o que é, antes de mais nada, uma aliança de caráter político. Em suma, TRATA-SE DA POLITIZAÇÃO DE UMA CORRENTE QUE SE IDENTIFICA COM A IGREJA CATÓLICA. O pretexto para Edinho Silva estar lá seria a sua expertise na chamada “doutrina social da Igreja”. Entendo. A Canção Nova procurou, procurou e não encontrou ninguém melhor do que o presidente estadual do PT, é isso?
Tenho uma relação transparente com os meus leitores. E essa transparência me obriga a dizer que não me alinho com as correntes carismáticas da Igreja Católica, sempre reconhecendo que há genuínas vocações cristãs e católicas entre os que fazem essa escolha, sejam sacerdotes, sejam fiéis. Acho, inclusive, que a Igreja “tradicional” — recorro a essa palavra à falta de uma mais precisa para o caso — teria algumas coisas a aprender com correntes que me parecem viver a fé com mais entusiasmo e vivacidade. A Canção Nova sempre me pareceu uma força importante de renovação da fé. Mas tenho a impressão de que algo um tanto estranho pode estar se passando por lá.
O petista Edinho Silva, que acaba de ganhar um programa na emissora da comunidade, foi o mesmo que comandou os esforços para censurar — infelizmente, foi bem-sucedido — um manifesto de católicos contra políticos que apóiam o aborto. Não havia no texto qualquer referência a partido nem se citavam nomes. Uma lideranç da Igreja Católica, Dom Luiz Gonzaga Bergonzini, bispo de Guarulhos, foi impiedosamente demonizado por petistas . No comando, Edinho Silva!

Caso do padre José Augusto

Ficou conhecido o caso do padre José Augusto, que pertence à Canção Nova. Em uma homilia, censurou o PT por sua posição simpática ao aborto. Ele foi repreendido pelo comando da Canção Nova, que fez questão de desautorizá-lo. O pretexto para fazê-lo foi a neutralidade da comunidade, que não deveria se envolver em questões político-partidárias. Não obstante, Gabriel Chalita, claramente identificado com essa corrente, andava pra cima e pra baixo com Dilma, tentando corrigir o que ela própria, por livre e espontânea vontade, havia dito sobre o aborto. Pois bem: se o padre José Augusto foi censurado, não me parece, como posso dizer?, decoroso ver o próprio presidente da Canção Nova, Wellington Silva Jardim, conhecido como “Eto”, dividindo a mesa, como dividiu, com Edinho Silva em seu programa de estréia. Quer dizer que, quando um padre censura o PT, isso é politização indevida, mas quando se entrega um horário da emissora para o presidente do partido, só estão fazendo “coisas de Deus”???
Não, senhores! Algo não vai bem no comando da Canção Nova no que diz respeito à doutrina. Parece que os dirigentes da comunidade estão perigosamente perto do poder terreno e um tanto mais distantes do poder de Deus — E ISSO NADA TEM A VER COM OS FIÉIS, JÁ QUE A VERDADEIRA IGREJA É O REBANHO. Homens podem se desvirtuar, todos sabemos disso. Chalita também estava na estréia de Edinho. Parece-me que está em curso uma tentativa de instrumentalizar a fé em favor de uma escolha político-eleitoral.
Dada aquela relação transparente de que falei, não é segredo para ninguém que não sou fã de Chalita. Sua superficialidade é constrangedora. Seus textos são bisonhos. Tem-se mostrado ainda muito hábil (!) em contar uma verdade diferente a cada público. Em entrevista à Folha, por exemplo, disse ter deixado o PSDB porque estaria sendo perseguido por José Serra. Ao Estadão, já afirmou outra coisa: é que teria se encantado com Dilma. À Folha, em 2004, contou ter comprado um apartamento avaliado então em R$ 4,5 milhões com parte de uma herança da família; numa palestra no começo deste ano, fabulou a sua infância pobre, filho de pai analfabeto e feirante. Em 2000, tinha um patrimônio de R$ 741 mil; em 2011, chega a R$ 15 milhões (ler reportagem aqui), um crescimento de 1.925% — 115% só nos últimos três anos. Como conseguiu? Com seu salário de professor e com a venda de seus livros!!! Tentar saber, no entanto, o que essa venda significa em números é tarefa impossível — segredo de estado.
O leitor tem de saber, e sabe, que tenho, sim, meus pontos de vista. O caso de agora, no entanto, não tem nada a ver com eles. Escolher o presidente de uma seção — a paulista — do maior partido do país para falar sobre a “doutrina social da Igreja” tem pouco de religião e muito de política.
A comunidade da Canção Nova não merece ter a sua fé manipulada desse modo. Até porque PT e Chalita são só manifestações deste mundo, que um dia passam. Mas a Igreja fica. Que reflitam bastante sobre o que está em curso e tomem cuidado com os discursos de manipulação, que recorrem à palavra de Deus para conquistar posições do reino dos homens.
Reflitam! Aborto, disputa eleitoral, alianças partidárias… Cuida-se aqui de religião ou de política? Os fiéis da Canção Nova são parte do rebanho de Deus, não vacas de presépio de falsos profetas. O mal que está perto de nós sempre é mais insinuante. Ou nós já o teríamos afastado para longe.
PS – Nos comentários, não aceitarei ataques aos fiéis da Canção Nova, cujos propósitos são os mais louváveis e não podem responder por eventuais desvios de dirigentes.

Por Reinaldo Azevedo

Fonte: http://sentircomaigreja.blogspot.com/2011/11/charge-cancao-nova-da-voz-ao-edinho.html

Horror numa rua chinesa: uma nação desperta para sua crescente desumanidade

Décadas de comunismo, planificação cultural, abortos forçados e rapto de bebês considerados “excedentes” pelos agentes do estado chinês não produziram a “nova humanidade” sonhada por todos os revolucionários. Criaram apenas uma geração de pessoas desnaturadas, frias e brutalmente egoístas.

Os chineses acabaram de perceber de relance a crescente desumanidade de sua sociedade, e eles estão revoltados com o que estão vendo. Mas o horror capturado num recente vídeo de circuito fechado numa rua chinesa é nada mais do que um microcosmo da desumanização sistemática das crianças da China que está em andamento há décadas, por meio da cruel “política de um só filho” da China.

O vídeo mostra uma criança muito pequena que se perde numa rua, é atingida por um van, que prossegue depois de parar brevemente, deixando-a como morta.

Mas o motorista da van não é o único vilão da cena. A câmara captura mais dez minutos de indiferença assustadora enquanto um pedestre após outro passa pela criança, que está no chão morrendo de hemorragia diante dos olhos deles. A criança foi atingida por uma segunda van, que também prossegue seu caminho.

Uma mulher pobre que coleta lixo reciclável acaba ficando comovida e dá uma parada para ajudar a menina. Ela corre até os pais dela, que apressadamente a levam a um hospital, onde ela permanece de coma.

O vídeo está circulando na China, exibido repetidamente na televisão e na internet, provocando indignação e exame de consciência. Suficiente é citar Eunice Yoon, correspondente da CNN na China, que comentou que “Muitas pessoas estão discutindo o que percebem como uma perda de moralidade na sociedade chinesa”.

“Muitas pessoas dizem que a China está há anos tendo um crescimento econômico acelerado, mas alguns observadores vêm apontando que o sistema educacional chinês realmente falhou nesse ponto, que fracassou ao não enfatizar e reforçar a necessidade de se respeitar a vida humana, numa época em que 1,3 bilhão de pessoas estão realmente clamando e com pressa para subir a escada social e econômica”, acrescenta Yoon.

Se os chineses desejam descobrir o poço envenenado do qual o país está bebendo, eles não precisarão olhar muito longe. Tais cenas de horror são comuns em todo o país e se repetem numa base diária, em “clínicas” governamentais onde crianças são abortadas a força ou pela decisão dos pais sob coerção, os quais são obrigados a se submeter à “política de um só filho” da China.

Conforme uma recente reportagem de LifeSiteNews, há uma ausência surpreendente de quatrocentos milhões a menos de bebês, que não nasceram, desde o início da cruel política da China de um filho só e abortos forçados.

Essa política permite que famílias tenham apenas um filho se vivem numa cidade, e dois se vivem no campo. Aqueles que desafiam a lei e concebem e não fazem o aborto do segundo ou terceiro filho são multados, surrados e até assassinados pela polícia, conforme ativistas de direitos humanos frequentemente documentam. Seus filhos são então abortados a força.

O fato de que a criança no vídeo era uma menina não deveria causar surpresa a ninguém. A política de um filho só tem levado à devastação das mulheres, pois as famílias tipicamente preferem um menino em vez de menina, e praticam aborto por seleção sexual em escala de massa. De acordo com C-Fam, a proporção de meninos para meninas na China alcançou 120/100, e nas áreas rurais, até 130/100.

Em alguns casos, quando bebês “excedentes” nascem, as autoridades governamentais os raptam de seus pais, e então os vendem no mercado negro. Mulheres nas áreas rurais estão sendo enganadas e levadas a casamentos arranjados usando ofertas fraudulentas de empregos nas áreas urbanas. O tráfico de sexo está aumentando, e a homossexualidade também.

Embora a economia da China esteja crescendo de forma rápida, a longo prazo ela enfrenta o mesmo destino trágico do Japão, Europa Ocidental e outras sociedades que estão sacrificando sua descendência para a conveniência econômica: dívidas crescentes, estagnação econômica e crise social. Mas o resultado mais preocupante já está se passando bem diante dos olhos de milhões de chineses: uma sociedade que está perdendo sua alma para os ídolos dourados do mundo moderno.

 

 

Tradução: Julio Severo

Fonte: http://noticiasprofamilia.blogspot.com

Veja também este artigo original em inglês: http://www.lifesitenews.com/news/horror-on-a-chinese-street-a-nation-awakens-to-its-increasing-inhumanity

Fonte:http://www.midiasemmascara.org/mediawatch/noticiasfaltantes/comunismo/12526-horror-numa-rua-chinesa-uma-nacao-desperta-para-sua-crescente-desumanidade.html

 

Parresías: “O poder paralelo dentro da Igreja” Parte 1 e 2.

Parte 1

Parte 2

Resumo da auto contradição do Socialismo

Para um conceito abstrato se transmutar em realidade concreta, a primeira coisa que ele tem que fazer é se transformar no seu contrário.
Podemos observar as transformações que o conceito de socialismo tem que passar. Para ele passar do papel para a realidade. Para existir uma coisa chamada socialismo. . .

Vejamos um resumo.

O que  chamamos de socialismo?A definição de socialismo é a propriedade estatal dos meios de produção. Propriedade portanto legal. Porém acontece que o conceito de propriedade legal, só existe dentro do conceito burguês, o que justamente o socialismo pretende destruir, então isto quer dizer que propriedade estatal por meio  de produção, não é propriedade legal.

Não há mais legalidade quando você faz essa transição, você destrói não só à propriedade legal, mas a própria noção de ordem legal.

Um (vamos dizer)dos pontos de honra do socialismo é ele jamais ceder ao formalismo jurídico, pois o socialista quer raciocinar na base de realidade concreta.

Então eles entendem que a propriedade estatal dos meios de produção não é  propriedade legal, mesmo por que  eles tendo a propriedade legal eles passam a ter a responsabilidade legal também. Por exemplo: Um empresário que tem uma propriedade legal de uma empresa ele também tem a responsabilidade legal por ela e se ele cometer alguma infração ele pode ser processado, ora quem vai processar o estado comunista, socialista?Ninguém!!

Então o estado socialista por definição, se coloca acima da ordem legal, portanto, o que ele busca não é a propriedade legal dos meios de produção, e sim o seu controle efetivo. É o poder sobre ela, não a propriedade legal.

E ora, a experiência socialista demonstrou que a estatização completa dos meios de produção é impossível, por que  como demonstra  o economista Ludwig von Mises na década de 20. Ludwig von Mises disse o seguinte: se você implanta o socialismo, você elimina o mercado; se elimina o mercado, as coisas não têm preço; se não têm preço, não dá para fazer cálculo de preço então precisa do governo para controlar os preços. Quem pode? Que ser humano pode calcular os preços de todas as coisas que existem? Ninguém pode fazer isso!! Só Deus pode fazer isso. (até São Tomás de Aquino já dizia que: “ O preço justo é o preço do mercado por que é um calculo que foi Deus quem fez. Ninguém mais pode fazer, ninguém pode ter o controle disso”.)

Então não podendo haver controle de preço, não poderá haver economia planejada, portanto não pode haver socialismo, socialismo jamais existirá.

O que  vai existir é um socialismo meia bomba, que vai  controlar uma parte e deixá-la à parte de livre mercado clandestino, como aconteceu na Rússia como aconteceu na China etc…

Então o que existe na verdade não é o socialismo ou estado socialista e sim o estado socializante, quer dizer o estado que vai avançando cada vez mais no controle da economia, sem nunca chegar ao controle total que  seria a estatização  que seria auto contraditório. Então esqueça o socialismo, não existe o estado socialista, existe o estado socializante.

O estado socializante é aquele que vai controlando cada vez mais os meios de produção! Ora quanto mais controle você faz, controle fiscal, controle trabalhista, controle policial, controle técnico, etc , etc, etc…e resultado, as pequenas firmas não aguentam, então elas vão a falência ou então elas são vendidas paras as grandes empresas.

Então quem é que ganha com o estado socializante? Os grandes capitalistas e é por isso mesmo que  eles fomentam o socialismo à pelo menos 70 anos, por que eles sabem que não existe risco de estatização total, não existe risco hoje e não existira jamais!

O que existe os próprios socialistas não a querem, por que se fizer a estatização total acaba a economia. Como aconteceu na China com o negocio da grande fome de Mao, e mostra que quando Mao estatizou a agricultura na China morreram só nisso ai (em 6anos)45milhões de pessoas de FOME. Então isso foi a prova prática que a estatística da estatização completa é impossível.

Se analisar o próprio conceito veria que ele auto contraditório, e como já dizia Hegel “ Quando você tenta realizar um conceito contraditório, o que acontece? Você gera contradições reais, não só apenas contradições lógicas, são contradições materiais insolúveis”. Resultado, você acaba realizando uma coisa completamente diferente do que estava no conceito, isso sempre foi assim e sempre será.

Exemplo fácil: Se você fala que vai fazer uma galinha que dá leite, você vai fazer uma merda qualquer, menos uma galinha que dá leite.

Culpando a religião pelas guerras… Não tão rápido assim

Uma das alegações sociológicas contra a religião que costumam aparecer em debates é que “a religião é má, pois causou a maior parte das guerras da humanidade” (ou variando em detalhes, sendo o essencial isso).

Como é evidente, essa alegação não pode passar sem um crivo cético de análise.

Será mesmo que tantas guerras assim foram causadas pela religião? Como saber se foram ou não?

O meu critério é simples: para algo ser “uma guerra religiosa”, deve ser um fato SUFICIENTEMENTE causado por uma crença religiosa.

Caso contrário, não será uma “guerra religiosa” e sim um conflito COMUM, dotado de elementos acessórios relacionados com à religião.

Aplicando o critério, vejamos o caso prático (e similar, já que não é uma guerra) de Wellington, atirador do Rio de Janeiro. Ele possuía (1) graves distúrbios psicológicos e (2) sofreu humilhações (principalmente por parte de garotas, até onde se sabe) e, ao que parece, (3) era uma Testemunha de Jeová convertida ao Islamismo.

A partir daí, ele resolveu se vingar do mundo e matar várias garotas e garotos (mas especialmente garotas) numa escola desprotegida.

Agora vamos imaginar um contrafactual constituído de um cenário onde ele tenha sido criado por pais ateus, mas tenha sofrido as mesmas influências de (1) e (2).

O fato de ele ter sido criado no ateísmo (ou no neo-ateísmo) IMPEDE ele de causar o mesmo evento nesse mundo possível? Não vejo porque dizer que impede. Se foi suficientemente causado por algo, foi por (1) e (2). Tire a doença mental dele (que gerou agressividade) e as humilhações (que retira a necessidade de vingança) e imagine o que acontece. Aí sim é difícil pensar que ele atacaria a escola. Mas o fato dele ser ateu ou religioso está mais para um elemento acessório (que variam de acordo com o lugar e a situação) do que para fator causador do evento.

Assim, culpar a “religião” pelo evento é picaretagem intelectual.

O mesmo vale para o neo-ateu. Se ele não trouxer uma listagem de todas guerras já existentes, explanando-as em detalhes e demonstrando que não existe contrafactuais onde o evento poderia ter acontecido sem a religião, não é uma “guerra religiosa”.

Será que ele consegue (e tem o dado) ou é uma bobagem aprendida pelo senso comum vindo de professores marxistas e etc?

Algumas vezes vemos esse tipo de argumento sendo utilizado. Por exemplo, a campanha da ATEA utiliza a imagem do 11/09 (segunda imagem, na parte de cima):


Claro que podemos facilmente parodiar, lembrando também dos genocídios cometidos por ateus:

E antes que alguém diga que esses eventos “não tinham relação com o ateísmo, mas com a ideologia comunista”, faço a referência para meu post onde já refutei essa reclamação: Marxistas mataram por influência de tudo, menos do ateísmo

E os neo-ateus ainda tem MAIS alguns problemas para lidar.

O primeiro deles é que críticas sociológicas para a religião são apenas… críticas sociológicas para a religião. Essa crítica não valida o ateísmo, nem obriga a pessoa a deixar de ser religiosa ou a torna injustificada em o ser. Lembrem-se do seguinte artigo, onde já expliquei o assunto: Críticas sociológicas a religião validam o ateísmo

Ou seja… não é com falácias ad consequentiam que você vai vencer o debate.

E se ele não acredita em valores morais reais (v. Um pouco sobre teoria moral objetiva e subjetiva), como ele pode criticar moralmente dessa forma supostas “guerras religiosas”? Desde quando se utiliza uma ILUSÃO (social ou individual) para formar um argumento?

Se ele não providenciar um base objetiva consistente para o mal no ateísmo, a coisa já para por aí. Não é preciso discutir mais, pois ele mesmo se enforca.

Além do fato, é claro, de assassinatos como esses serem cometidos CONTRA a moral religiosa. Se eu mato outra pessoa, eu estou indo CONTRA as regras do Cristianismo. Ou seja, se eu tivesse o seguido, não teria cometido o ato.

Eu até podia aproveitar a deixa para fazer mais uma imagem dos “loops”, colocando de um lado “A moral é só uma adaptação de acordo com o tempo e o lugar, sem valor real” e do outro “A religião é imoral e precisa ser exterminada da história humana”…

Enfim, seja como for, só uma dose de ceticismo já destrói a fraude das “guerras religiosas”.

Fonte:http://quebrandoneoateismo.com.br/2011/04/27/culpando-a-religio-pelas-guerras-no-to-rpido-assim/#comment-3653

A principal notícia da semana para quem é contra o aborto e o PNDH-3

A futura ministra dos Direitos Humanos está com pressa em relação algumas de suas motivações – como o aborto, e o PNDH-3. Ela afirma que não dá para esperar determinadas leis serem votadas, o que sobra é desde já fazer MOBILIZAÇÃO NACIONAL.

Veja a notícia abaixo:

A futura ministra dos Direitos Humanos disse que implantará o PNDH-3 como ele está. Ou seja, aborto, legalização da prostituição, perseguição religiosa, “casamento” homossexual, e mais 510 aberrações!

Daniel Martins

Temos falado muito do termômetro do PNDH-3. Subiu mais um grau. E o Brasil vai chegando perto de uma intensa febre. Que grau foi esse? A futura ministra de Direitos Humanos do governo Dilma Roussef, Maria do Rosário, disse que vai implantar o PNDH-3 “como ele está”. Foi o que afirmou em entrevista para a Folha de S. Paulo (18/12/10).

Chamo a atenção para alguns pontos da entrevista:

a) Ela afirma que é preciso aceitar a adoção de crianças por “casais” homossexuais, dizendo que o fato de serem homossexuais não influencia na educação (sic!)

b) Sobre a lei de “homofobia”, que instaura a perseguição religiosa contra quem se oponha por princípio e consciência à prática homossexual, as declarações nos deixam perplexos. Ao ser perguntada sobre o projeto de lei da homofobia, ela respondeu:

“Quem tem urgência não espera a lei ser votada no Congresso. Muitas vezes as legislações demoram nessa área de direitos humanos mais do que deveriam. Não vou começar pela lei, mas pela mobilização nacional.”

Em outras palavras, ditadura do Executivo, através de seu “Soviet Supremo”, a Secretaria de Direitos Humanos, passando por cima do Legislativo.

c) Sobre a questão do aborto, a futura ministra tergiversou, acabando por dizer que vai implantar exatamente o que está no PNDH-3. Em última análise, aborto em todas as ocasiões no sistema público de saúde.

Quer o leitor uma prova mais rotunda de que precisamos agir? É por isso que no dia 5 de Janeiro sairá mais uma Caravana Terra de Santa Cruz, contra o aborto e o PNDH-3. São mais de 35 jovens que estão na lista para sair, a maioria já confirmados.

E você, caro leitor, ajudará os jovens a sairem em Caravana para combater o PNDH-3?Clique aqui e ajude a Caravana Terra de Santa Cruz com um tanque de combustível. Serão mais 450Km que, por sua contribuição, serão percorridos. Já pensou o que isso significa?

É com doações assim que poderemos mobilizar um grande número de brasileiros. Se nos mobilizarmos, o PNDH-3 dificilmente se implantará! E o Brasil continuará a ser a Terra de Santa Cruz. Se não…

Fonte aqui

Veja esta notícia também.

Agora vejam um vislumbre da possível mobilização nacional:

Meus comentários

Se isto não é uma imposição homossexual não sei o que é. Veja: eles plantam uma probabilidade de haver pessoas homossexuais, e não se dão ao critério científico de dizer se alguém nasce gay ou não (não há como saber isso, a identidade é macho ou fêmea, pênis ou vagina), e depois dão uma DESCULPA esfarrapada que esse KIT é apenas para que as pessoas com tendências homossexuais se MANIFESTEM. Bobagem!

Fico pensando como é que eles fazem esse cálculo da porcentagem de quantas pessoas homossexuais há no Brasil, será que é observando se ele quer carrinho ou bonequinha. Tolice!

Se o cara for sido educado daquele jeito será daquele jeito. Se dizer para o cara macho que ele é fêmea desde pequeno, pouco se lasque sua tendência, o cara irá virar gay! E se enfiam isto na cabeça de crianças de 4 a 9 anos, o que acha que irá virar. A taxa de homossexuais irá aumentar com a desculpa de que eles tinha tendência. Besteira! Forjaram isto na cabeça da criança.

Não é questão de preconceito, mas de imposição. Ora, nós temos o direito de dizer a nossos filhos que não concordamos e pronto! Mas eles querem tirar este direito, porque senão eles ficam “magoadinhos”. Nossos filhos não precisam serem educados por pessoas que não tem critério mais para designar o que é certo e errado.

Esses gayzistas não tem a mínima fundamentação objetiva para valores morais e querem dar um de bonzinhos, dizendo estar certos, dizendo ser vítimas. São minorias problemáticas, que precisam de tratamento!

Droga! O que o homossexualismo tem de tão “puro” que não pode ser criticado”?”, porque se for será considerado homofobia? É santa a prática homossexual? Caem na real, ou voltem para o mundo real. Homofobia é considerar a prática homossexual imune a críticas? Mas porque não pode ser criticado? Se todo comportamento é.

Vejam este post do Snow.

Vejam este vídeo:

Comentários por Paulo Júnio

Fonte:http://teismo.net/?p=528

O Comunismo e os Dez Mandamentos

O decálogo nos manda:
“amar a Deus sobre todas as coisas”,
“não tomar seu Santo Nome em vão” e
“guardar os domingos e festas de preceitos”.

E o comunismo ateu tudo faz para extinguir a Fé, levar os homens à blasfêmia e criar obstáculos à normal e pacífica celebração do culto;

O Decálogo nos manda:
“honrar pai e mãe”,
“não pecar contra a castidade” e
“não desejar a mulher do próximo”.

O comunismo deseja romper os vínculos entre pais e filhos, entregando a educação destes em mãos do Estado. o comunismo nega o valor da virgindade e ensina que o casamento pode ser dissolvido por qualquer motivo, pela mais vontade de um dos cônjuges;

O Decálogo nos manda:
“não furtar” e
“não cobiçar as coisas alheiras”.

O comunismo nega a propriedade privada e sua tão importante função social;

O Decálogo nos manda:
“não matar”.

O comunismo emprega a guerra de conquista como meio de expansão ideológica e promove revoluções e crimes em todo o mundo;

O Decálogo nos manda:
“não levantar falso testemunho”.

O comunismo usa sistematicamente a mentira como arma de propaganda.

Fonte:http://ograndecombate.blogspot.com/2010/07/o-comunismo-e-os-dez-mandamentos.html

Dispostos a receber um tiro

Todos sabem a história dos CRISTEROS. Esse grupo de heróis católicos que resistiu ao governo do México que queria perseguir duramente a Igreja Católica. Santos heróis, esses cristeros lutavam e morriam bradando: VIVA CRISTO REI!

Um episódio sobre os CRISTEROS:

Contam que durante a guerra dos “cristeros”,quando a revolução mexicana perseguia até a morte à Igreja, as missas se celebravam clandestinamente e os vizinhos passavam a informação com a voz de casa em casa, quando algum sacerdote chegava ao povoado, vestido à “paisana”.
Num certo povoado na zona rural do México, estavam aguardando o sacerdote que chegaria no fim de semana, de uma outra aldeia vizinha. Os catequistas clandestinos tinham preparado batismos e outros sacramentos. Para o evento tinham conseguido um velho armazém, suficientemente amplo para albergar alguns centos de fiéis. Naquele domingo, pela manhã, o velho depósito estava totalmente lotado com a quantidade de pessoas que chegavam dos arredores. As 600 pessoas que estavam reunidas, aguardando o início da celebração, se assustaram quando entraram no local dois homens uniformizados e armados. Um deles disse:

“- Quem se atreve a receber um tiro, por Cristo, fique onde está… O resto pode ir saindo já! As portas estarão abertas apenas 5 minutos.”

Imediatamente vários integrantes do coro se levantaram e saíram… Também alguns dos diáconos foram embora e a maior parte da freguesia. Passados menos dos 5 minutos prometidos, somente 20 pessoas dos 600 paroquianos restavam no recinto. Então o militar que tinha falado antes encarou o sacerdote e disse:

“- O. K. padre, eu também sou cristão e já me desfiz dos hipócritas. Continue com a celebração.”

“Histórias que Evangelizam” – Gilberto Gomes Barbosa.
Comunidade Obras de Maria

Fonte:http://ograndecombate.blogspot.com/2010/07/dispostos-receber-um-tiro.html